Relato de caso: Situação de encalhe de um indivíduo vivo de Dermochelys coriacea no sul da Bahia.



No dia 15/10/2020 o Projeto (a)mar foi acionado por telefone sobre uma tartaruga marinha encalhada com vida, na zona norte de Ilhéus - BA. Ao chegar em campo identificamos sendo um exemplar de Dermochelys coriacea, conhecida popularmente como tartaruga-de-couro ou tartaruga gigante, animal bastante raro e criticamente em perigo de extinção (classificação do MMA). A tartaruga foi analisada na praia e estabilizada, teve dados biométricos registrados, amostras biológicas coletadas e sexo identificado. Era uma fêmea adulta com 2,10m de comprimento total, e uma das nadadeiras dianteiras estava amputada, mas já cicatrizada. Apresentava escoriações e leves ferimentos, mas estava ativa, com escore corporal saudável, responsiva, com boa flutuabilidade e intervalo respiratório regular. Ela estava cansada e devido a limitação física por causa da ausência de uma das nadadeiras dianteiras, não conseguia romper a zona de arrebentação das ondas sozinha, além disso no local onde a mesma foi encontrada haviam bóias sugestivas de redes de espera, que a colocavam em risco. Através de uma operação conjunta de resgate, após avaliação especializada e estabilização do animal, o mesmo foi redirecionado para outra praia, sem presença de ondas, e foi devolvida para o mar. Uma embarcação da Marinha ficou a postos caso fosse necessário encaminhá-la para alto-mar. A tartaruga foi apelidada de Esperança. O Projeto (a)mar contou com o apoio da população local, de membros da Comunidade Terapêutica Fonte dos Milagres, de Policiais Militares da Companhia Independente de Polícia e Proteção Ambiental (CIPPA) e Marinha do Brasil (base Ilhéus), na operação de atendimento e soltura da tartaruga de couro. Contamos também com participação remota de técnicos do ICMBIO, Centro TAMAR e Fundação Pró Tamar, que contribuíram com o sucesso da operação. Mesmo sendo uma espécie rara, tartarugas-de-couro com apenas uma nadadeira dianteira tem sido registradas em diferentes estados do Brasil, em muitas vezes estão associadas a interação com artefatos pesqueiros do tipo espinhel. Estudos indicam que apesar de ter somente uma nadadeira dianteira tartarugas-de-couro conseguem sobreviver em vida livre. A tartaruga-de-couro é uma espécie oceânica e se aproxima da costa em seu período reprodutivo.


Mais informações: (73)998122850

www.instagram.com/projeto.amar.ba

www.projetoamarba.org

www.facebook.com/projeto.amar.ba

projeto.amar.ba@gmail.com



21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo